Ariadne Oliveira / Mezzo Soprano

Ariadne Oliveira / Mezzo Soprano

Mídia Divulgação

Mídia Palco

Vídeos

Bio

Natural de Curitiba, iniciou seus estudos musicais na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, graduando-se na Classe de Canto da soprano Neyde Thomas. Através de uma bolsa de estudos concedida pela Fundação VITAE em 2005, residiu na Europa, onde aperfeiçoou-se com a mezzo soprano Bianca Maria Casoni (docente da Accademia do teatro Alla Scala di Milano, Itália). Em Berlim, também fez aulas de aperfeiçoamento, com o barítono Roman Trekel, cantor do Berliner Staatsoper.

 

Debutou no papel de Rosina, na ópera “O Barbeiro de Sevilha”, no Theatro São Pedro, em São Paulo, no ano de 2005. Desde então, tem se apresentado em importantes salas do Brasil e exterior, tendo já cantado em países como a Itália, Alemanha e Argentina.

 

Possui um vasto repertório, e entre algumas de suas apresentações, podemos destacar seu concerto com a OSESP, na Sala São Paulo, em Março de 2009, onde obteve muito sucesso como solista da obra “El Amor Brujo”, de Manuel de Falla. Também neste ano, triunfou em um recital de músicas eruditas brasileiras no Teatro Argentino de La Plata (Argentina). Em 2011, realizou a estréia mundial da obra “Vox Amazoniae” do compositor Harry Crowl, com a Orquestra Sinfônica do Paraná, sob a regência de Hans-Peter Frank (Alemanha).

 

Vencedora de todos os concursos de canto mais importantes do país, Ariadne Oliveira tem atuado como solista junto a prestigiosas orquestras do Brasil, e sob a batuta de renomados maestros, dentre os quais: Cláudio Cruz, Julio Medaglia, Guilherme Mannis, Marcelo Ramos, Luís Otávio Santos, Alessandro Sangiorgi, Abel Rocha, Osvaldo Colarusso, Massimiliano Carraro, Wagner Polistchuk, Osvaldo Ferreira, Ricardo Bologna, Hans Peter-Frank, entre outros.

 

Em Março de 2017 recebeu da SBACE (Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino – Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes) o título de “Comendadora,” em reconhecimento aos seus feitos artísticos, premiações e contribuições à Cultura do País.

Repertório

ÓPERAS

 

G. Bizet

Carmen – “Carmen”

M. A. Charpentier

Les Plaisirs de Versailles – “La Conversation”
Actéon – “Junon”

C. Gounod

Faust – “Siebel”

G. F. Händel

Giulio Cesare – “Cornélia”

E. Humperdinck

Hänsel Und Grete – “Hänsel”

P. Mascagni

Cavalleria Rusticana – “Lola”

W. A. Mozart

Le Nozze di Figaro – “Cherubino”
Die Zauberflöte – “Dritte Dame”

G. Puccini

Madame Butterfly – “Suzuki”

G. Rossini

L’Italiana In Algeri – “Isabella”
IL Barbiere di Siviglia- “Rosina”

G. Verdi

La Traviata – “Flora Bervoix” , “Annina”
Rigoletto, – “Maddalena”

 

ORATÓRIOS E MÚSICA DE CÂMERA

 

J.S. Bach     “Magnificat”
“Matthäus-Passion”
“St. John Passion”

L. v. Beethoven “Symphony N 9”

L. Berio      “Folk Songs”

C. Debussy     “La Damoiselle Élue”

C. Guerra-Peixe  “Drummondiana – Cantoria Para Voz e Orquestra”

G. F. Händel    “Messiah”
                              “Dixit Dominus”                 

J. Haydn   “Stabat Mater”

J. Mac Millan “Seven Last Words From The Cross”

W. A. Mozart “Coronation Mass”

G. B.Pergolesi   “Stabat Mater”

G. Rossini “Stabat Mater”
“Petite Messe Solennelle”

C. Saint-Saëns  “The Oratorio de Noëll”

H. Villa-Lobos “Magnificat Alleluia”

A. Vivaldi “Nisi Dominus”

Depoimentos

“A mezzo soprano Ariadne Oliveira, cujo belo e raro timbre remete a uma jovem Marylin Horne é artista de brilho particular, como demonstrou com sua vibrante Flora Bervoix. Ariadne tem a garra típica daqueles que amam a sua profissão e deixa isto evidente na busca de superação e perfeição em cada uma de suas ótimas apresentações. Ainda vai longe esta baixinha que fica gigante no palco.”
-Sobre a sua atuação na ópera La Traviata, de Verdi, encenada no Theatro São Pedro, SP; (por Fábio de Mello, crítico de ópera) em 21/09/2004. Site “movimento.com”.

 

“O solo de Ariadne Oliveira foi muito emocionante e tecnicamente competente, como é de hábito dela, – uma das grandes profissionais do canto no país atualmente.”
-Sobre sua performance em concerto com a Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Osvaldo Colarusso; (por Harry Crowl,

compositor e musicólogo), em 28/05/13. Gazeta do Povo.