Caio Duran / Tenor

Caio Duran / Tenor

Mídia Divulgação

Mídia Palco

Bio

Bacharel em canto pela Faculdade de Música Carlos Gomes, iniciou seus estudos com o tenor brasileiro Benito Maresca e posteriormente com Isabel Maresca, em 2017 diplomou-se pelo Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo.

Venceu o prêmio Especial Revelação no Concurso de Canto Maria Callas e do Concurso de Canto Carlos Gomes.

Em 2011 interpretou Cascada em La Vedova Allegra (Lehar) no Teatro Dal Verme em Milão, e Gastone em La Traviata (Verdi) No Teatro Cagnoni em Vigevano, Itália.

Em 2012 diplomou-se em canto pela “Civica Scuola di Musica Claudio Abbado” em Milão, e em “Arte scenica” com o diretor Antonio Madau. Nesse período preparou seu repertório com o maestro Eugenio Krizanovsky.

Neste mesmo ano, interpretou Conte d’Almaviva em “Il barbiere di Siviglia” de Giovanni Paisiello na premier brasileira no Teatro São Pedro em São Paulo, sob a regia de Enzo Dara e direção musical de Sergio Monterisi.

Interpretou os seguintes papéis: Don Ottavio em Don Giovanni, Tamino em Die Zauberflöte, Tito em La clemenza di Tito de Mozart, Oronte em Alcina de Händel, Cascada em Die Lustige Witwe de Lehar, Conte d’Almaviva em Il Barbiere di Siviglia de Rossini, Colin em Le devin du village de Rousseau, Borsa em Rigoletto, Gastone em La Traviata de Verdi, Don Ramiro em Colombo, Don Alvaro em Il Guarany de Gomes, Spoletta em Tosca de Puccini, Flavio em Norma de Bellini. Seu repertório inclui a Sinfonía Nº 9 de Beethoven e Requiem de Mozart. Desenvolve também com grande versatilidade um delicado trabalho do repertório camerístico brasileiro e internacional do barroco ao contemporâneo.

Depoimentos

“É o Tito iluminado. Dentro dessa concepção de Vilela, atuou muito bem o jovem tenor Caio Duran, ainda na casa dos 30 anos de idade. “(Erico de Almeida Mangaravite – movimento.com)

“A atuação do tenor Caio Duran (Oronte) cresceu durante a noite. Seus recitativos foram articulados e bem projetados.” (Fabiano Gonçalves, movimento.com)