Marcelo Gama / Régisseur

Marcelo Gama / Régisseur

Mídia Divulgação

Bio

Artista brasileiro especializado em direção teatral de óperas contemporâneas, Marcelo Cardoso Gama radicou-se na Áustria desde 1991, quando veio a esse país aperfeiçoar seus estudos de piano, canto e música de câmara. Atua em diversos países (Áustria, Alemanha, Suíça, Finlândia, África do Sul, Brasil), tendo sido responsável por primeiras audições mundiais de diversos compositores (Johanna Doderer, Flô Menezes, Mike Svoboda, Gordon Kampe, Helmut Oehring, Enno Poppe, Lucia Ronchetti, Charlotte Seither, entre muitos outros) em algumas das mais importantes casas e festivais europeus tais como o Festival de Lucerna, o Festival de Verão de Helsinki, as Óperas de Stuttgart e Hannover e Eclat Festival. Em 2016 foi incumbido da direção teatral da BOA-Bienal de Ópera Atual instituída pela FUNARTE no Rio de Janeiro estreando óperas de Mario Ferrara e Eli-Eri de Moura. No Brasil, dirigiu óperas no Theatro Sao Pedro em São Paulo (“Os irmaos Grimm” de Dean Burry), no Conservatório de Tatuí (“Dido e Enéias” de Purcell) e Theatro de Santa Isabel em Recife (“Pepita Jimenez” de Isaac Albeniz) além de realizar a obra “Uma Brisa, ação musical para 111 ciclistas” de Maurizio Kagel no Festival Ciclovia Musical em Sao Paulo. Em 2014 dirigiu sob orientação do próprio compositor, Sir Peter Maxwell Davies, as obras “8 Songs for a Mad King”, “Miss Donnithorne’s Maggot” e “The Medium” produzidas pela Academia de Música de Basel e apresentadas em Basel (Gare du Nord Theatre), Neuchatel e Berna. Foi “artist in residence” da Akademie Schloss Solitude na Alemanha onde concebeu a ópera coral “Zivl Courage”, produzida pela Ópera Estatal de Stuttgart, encenada em praça pública com a participação de mais de 100 cantores e documentada pelo canal de TV Deutsche Welle. Recebeu prêmios do Ministério de Cultura e Ciências de Baden-Württemberg para a execução dos projetos “House of Dreams” (Durban, 2010) e “Babel Tower” (Stuttgart, 2013 e Helsinki, 2014 também premiado pela Fundação Kone da Finlândia) além dos prêmios-incentivo da Akademie Musiktheater-Heute (Fundação Deutsche Bank, onde foi bolsista de 2004 a 2006) para os espetáculos “Folk Songs Dialog” (Stuttgart, 2007) e “Der Bauch” (Vienna, 2006). Tem participado como ator, cantor e pianista em mais de 50 produções dos teatros Odeon, Projekt Theater Studio, Off Theater, Theater an der Josefstadt, assim como dos festivais, Wiener Festwoche, Salzburger Festspiele, Styriarte, Steirischer Herbst, entre outros.