Martin Muehle

O tenor teuto-brasileiro Martin Muehle foi elogiado por sua proeza vocal e intensidade dramática no palco em alguns dos papéis de tenor mais desafiadores.

A temporada 2020-21 marca a estreia de Muehle na Oper Frankfurt como Chevalier Renato des Grieux em Manon Lescaut de Puccini, bem como sua estreia como Otello na Ópera Estatal de Hanover. Ele retorna à Deutsche Oper Berlin como Calaf em Turandot de Puccini, e ao Teatro Nacional de Praga pelo papel-título em Andrea Chénier, bem como à Oper Köln como Don José em Carmen de Bizet e ao Konzert Theatre Bern como Pollione em Bellini da Norma. Como solista de concerto sobe ao palco com a Münchner Rundfunkorchester para uma ópera de gala, bem como com a Stuttgarter Philharmoniker na Faust Symphony de Liszt.

O Sr. Muehle abriu a temporada 2019-20 com seu retorno à Oper Köln como Don José, seguido de sua estreia no Teatro Gra Teatro del Liceu em Barcelona como Turiddu na Cavelleria rusticana de Mascagni e Canio na Pagliacci de Leoncavallo, sob a direção de Henrik Nánási. Ele retornou à Deutsche Oper Berlin no papel-título de Andrea Chénier de Giordano, um papel que ele também interpretou em temporadas anteriores no Teatro Comunale di Modena, Teatro Regio di Parma, Teatro Reggio di Emilia, Fondazione Teatro di Piacenza e no Teatro Nacional de Praga . Ele estava programado para retornar ao Teatro Bolshoi como Don José e estrear no Grand Théâtre de Genève em 2020-21 como Calaf. Outros compromissos planejados afetados pela coroa incluíram sua estréia no papel como Herman em uma nova produção de Pique Dame de Tchaikovsky na Deutsche Oper Berlin, bem como o papel de Canio em Pagliacci na Ópera Israelita em Tel Aviv.

Em temporadas anteriores, Martin Muehle interpretou Don José em Carmen de Bizet na Staatsoper Hamburg e no Teatro Bolshoi, dirigido por Tugan Sokhiev. Ele fez sua estréia nos EUA e na casa na Seattle Opera como Manrico em Il trovatore de Verdi e retornou à Oper Köln como Calaf em Turandot, um papel que ele também cantou na Deutsche Oper Berlin. Ele também se apresentou novamente no Teatro Massimo em Palermo como Canio em Pagliacci de Leoncavallo dirigido por Daniel Oren e estreou na Arena di Verona nos papéis de Don José e Radamés em Aida de Verdi.

Outros destaques das temporadas recentes incluem seu papel e estreia na casa ao lado de Angela Gheorgiu no Teatro Massimo em Palermo como Maurizio em Adriana Lecouvreur de Cilea, sua estreia como Manrico em uma nova produção de Il trovatore no Konzert Theatre Bern, bem como sua estreia no papel em o papel-título de Lohengrin de Wagner em uma nova produção de Vincent Boussard no Theatre St. Gallen. Ele também cantou Don José no Teatro Nacional de Praga, Konzert Theatre Bern, o Festival de Bregenz em 2017 e 2018, Oper Graz, Nationaltheater Mannheim e Theatre St. Gallen e em Buenos Aires.

Em temporadas anteriores no Nationaltheater Mannheim, onde esteve no conjunto de 2013 a 2015, ele interpretou papéis como Hagenbach em La Wally de Catalani, Fausto em La damnation de Faust de Berlioz, Gabriele Adorno em Simon Boccanegra de Verdi, bem como Calaf em Turandot e Pinkerton em Madama Butterfly, o papel-título em uma nova produção de Stiffelio de Verdi e Fritz em Der ferne Klang de Schreker, bem como o papel-título em Lohengrin de Wagner.

Outros compromissos anteriores incluem Andrea Chénier no Teatro Petruzelli em Bari, Des Grieux em Manon Lescaut de Puccini em São Paulo, Fausto em Mefistofele de Arrigo Boito e Arrigo em I Vespri Siciliani de Verdi no Teatro Freiburg, Pollione em Norma de Bellini no Teatro St. Gallen, Luigi em Il tabarro de Puccini no Teatro Bielefeld, Radamés em Aida no Festival de St. Margarethen, Siegmund em Die Walküre de Wagner no Teatro Detmold e Calaf no Teatro Filarmonico em Verona. Na América do Sul, Muehle fez seu nome cantando papéis como Turiddu em Brasília, e Siegmund em Die Walküre em La Plata e no Theatro Municipal em São Paulo, onde também cantou Alfonso em Violanta de Korngold e Guido em Eine florentinische Tragödie de Zemlinsky .

Apareceu em concerto como solista no Requiem de Verdi com a Rundfunk-Sinfonieorchester e Rundfunkchor Berlin sob a batuta de Simon Halsey na Filarmônica de Berlim, bem como no Gewandhaus em Leipzig com a Sinfonia MDR, em Das Lied von der Erde dirigido por Dan Ettinger em Mannheim e trabalhou com a Orquestra Sinfônica da Rádio Croata em Zagreb. Também cantou a Missa Santa Cecília de Gounod no Theatro Municipal de São Paulo, a Sinfonia nº 9 de Beethoven na Catedral de Porto Alegre e no Palácio das Artes em Belo Horizonte.

Ele é destaque na gravação Naxos aclamada pela crítica de Francesca da Rimini de Zandonai no papel de Paolo il bello com a Orquestra Filarmônica de Freiburg sob Fabrice Bollon.

Martin Muehle nasceu em Porto Alegre no Brasil e estudou na Musikhochschule em LĂĽbeck, Alemanha.

Martin Muehle
Mídia Divulgação
VĂ­deos
Opera Atelier
Contato

Vitor Philomeno | Gerente ArtĂ­stico
+55 (11) 96837-1982
contato@opera-atelier.com

Opera Atelier Artists 2014-2022 © Todos os direitos reservados